De MEI para Empresário Individual: Entenda como funciona

mei-para-empresario-individual

Quando um empreendedor decide começar o próprio negócio sozinho, ele encontra algumas possibilidades, como o Microempreendedor Individual (MEI) e o Empresário Individual. No entanto, é fundamental compreender qual é o momento de migrar de MEI para Empresário Individual.

Como assim? É possível que você não tenha entendido tal relação. No entanto, não se preocupe que nós vamos explicar!

Acontece que, um empreendedor optar por se tornar um MEI e com o passar dos anos, ele percebe que o seu negócio está crescendo muito. Com isso, continuar enquadrado neste modelo de empresa pode não ser mais tão vantajoso. O que abre a possibilidade de se tornar um Empresário Individual.

Sendo assim, é por isso que todo empreendedor precisa entender qual é o cenário ideal para migrar de MEI para Empresário Individual.

Que tal descobrir sobre essa relação agora mesmo?Continue acompanhando o nosso artigo e entenda melhor acerca do Microempreendedor Individual e Microempresa! Vamos?

Aproveite para ler: O que é e como abrir uma sociedade unipessoal de advogados

Qual o momento para migrar de MEI para Empresário Individual?

No Brasil, um empreendedor encontra, diante de si, várias possibilidades de trabalhar por conta própria e de uma forma regularizada. E, quando falamos sobre este assunto, uma das principais dúvidas diz respeito ao tipo de empresa que pode ser aberta.

Desse modo, os empreendedores podem começar a sua jornada tanto como um Microempreendedor Individual ou como um Empresário Individual. Ambas as opções possuem especificidades únicas e podem atender às a suas necessidades.

Sendo assim, antes de entender qual é o momento perfeito para migrar de MEI para Empresário Individual, é fundamental entender cada uma das opções e o que elas representam.

Portanto, confira a seguir quais as principais características de um MEI e de um ME e compreenda qual deles faz mais sentido com o seu modelo de negócio.

Microempreendedor Individual (MEI)

O empreendedor que pretende atuar por conta própria e de maneira regularizada por escolher se tornar um MEI.

No entanto, existem algumas especificidades que caracterizam um Microempreendedor Individual. A primeira delas é qual é a atividade que pretende desempenhar, pois não é qualquer atividade que é permitida a inscrição no MEI. Na própria plataforma do Portal do Empreendedor, o empreendedor encontra uma lista com as atividades que podem ser desempenhadas como MEI.

O segundo ponto a ser observado é o seu faturamento anual, que não pode ser superior a R$ 81 mil. Além disso, ele não pode ter participação em outros empreendimentos, nem como sócio, tampouco como administrador.

O Microempreendedor Individual ainda oferece algumas vantagens para os empreendedores. Após se formalizar como um MEI, o empreendedor tem o seu registro feito no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas, obtendo assim o seu CNPJ e Inscrição Estadual nas atividades de comércio.

Desse modo, é possível emitir notas fiscais de uma maneira mais prática, podendo também encontrar facilidade em abrir uma conta bancária e obter empréstimos.

Uma das dúvidas mais comuns quando falamos no Microempreendedor Individual é em relação à sua tributação. O MEI é enquadrado no Simples Nacional e, por isso, possui o seu recolhimento de impostos de maneira unificada.

Entretanto, o MEI, por ser um enquadramento especial, onde diferente dos outros tipos de empresa que recolhem um percentual conforme a atividade desempenhada, o imposto possui um valor fixo, sendo este valor cobrado mensalmente e disponível no Portal do Empreendedor.

Empresário Individual

A nossa segunda opção para os empreendedores é abrir um registro de Empresário Individual. Estamos falando de uma estrutura de negócios mais robusta, na qual o faturamento anual pode ser de, no máximo, R$ 360 mil, quando enquadrado como Microempresa (ME), e de R$ 3.6 milhões, quando enquadrado como Empresa de Pequeno Porte (EPP).

Sendo assim, para que seja possível abrir um registro de Empresário Individual, é necessário fazer um Requerimento de Empresário e registrá-lo na Junta Comercial. Processo totalmente diferente de um MEI, que pode ser aberto pela internet.

O Empreendedor, na hora de formalizar o seu registro de Empresário Individual, pode escolher qual será o seu regime tributário. Com isso, ele encontra diante de si o Simples Nacional, o Lucro Real e o Lucro Presumido.

Dessa forma, é imprescindível escolher o regime tributário que mais se adeque à sua estrutura de negócios. O recomendado é contar com uma contabilidade na hora de fazer essa escolha, evitando assim erros.

Já conseguiu entender as principais diferenças entre um MEI e um Empresário Individual? Caso ainda encontre dificuldades, vamos apresentar um comparativo entre os dois tipos de empresa existentes. Acompanhe!

Aproveite para ler: Negócios sustentáveis: dicas para crescer de forma estruturada

Quais as diferenças entre MEI e Empresário Individual?

Como você já conseguiu perceber, a principal diferença entre um MEI e um Empresário Individual é o seu faturamento anual. Enquanto o MEI exige uma receita anual de, no máximo, R$ 81 mil, o Empresário Individual permite um faturamento anual de R$ 360 mil ou de R$ 3.6 milhões de receita por ano, conforme o porte da sua empresa.

Além disso, ainda existem outras diferenças entre as duas opções de empresas apresentadas aqui. Uma delas é a contratação de funcionários. Enquanto o MEI pode ter apenas um funcionário, recebendo um salário mínimo ou o piso da sua categoria, um Empresário Individualpode ter vários funcionários.

Em relação à gestão contábil, o MEI deve registrar todas as suas movimentações financeiras de maneira mensal. Fato que não demanda um livro contábil, por exemplo.

Em contrapartida, um Empresário Individual já precisa de uma gestão contábil mais estruturada, cumprindo assim todas as suas obrigações.

Agora, que tal compreender os fatos que podem levar um empreendedor a mudar de MEI para Empresário Individual? Veja a seguir.

Quando migrar de MEI para Empresário Individual?

Não é muito difícil perceber quais os motivos que podem levar um MEI a migrar para um Empresário Individual. A principal exigência é o faturamento anual.

Ou seja, toda empresa tem como objetivo crescer e se consolidar no mercado. Com isso, quando um MEI começa a apresentar um crescimento e um aumento na sua demanda, é o momento de migrar para outro enquadramento de empresa, como umEmpresário Individual.

No entanto, é fundamental entender que a mudança gera algumas consequências, como a tributação. Isto porque ao migrar de MEI para Empresário Individual, o empreendedor para de pagar a guia mensal e o seu recolhimento de impostos é feito a partir do regime tributário escolhido. Conseguiu entender sobre MEI e Empresário Individual? Para mais informações e artigos como este, acesse o nosso blog e confira!

Compartilhe:

Posts

Open chat
Olá, em que podemos ajudar? Fale conosco pelo WhatsApp!